Uma breve história

Em 2019, a Etec Prefeito José Esteves comemorará 56 Anos de Funcionamento, sendo considerada a data do aniversário 24 de outubro, data do nascimento do seu patrono.

A Escola foi criada pela Lei n° 4.377, de 16 de novembro de 1957, com a denominação de Escola de Iniciação Agrícola de Cerqueira César; sua instalação ocorreu em uma gleba de terras 24,20 ha, doada pelo Prefeito Municipal de Cerqueira César, na ocasião, Sr. José Esteves.

Instalada em 4 de outubro de 1963, por ato do Governo do Estado, a Escola passou a funcionar em 1964, sendo oferecido o Curso Vocacional Agrícola, dirigido a alunos do sexo masculino, na faixa etária de 11 a 14 anos, com grau de escolaridade equivalente à 3ª série do ensino fundamental, sendo ainda condição para admissão ser procedente da zona rural.

O Decreto n° 51.064, de 16 de dezembro de 1968, que tratou da expansão do ensino agrícola, transformou a Escola em Colégio Técnico Agrícola, prevendo-se a instalação de cursos mediante plano especial da Secretaria da Educação.

Em 1969 e em 1970, a Escola ofereceu vagas iniciais para o curso Ginasial Agrícola. Em 1972, foi oferecido o curso Monitor Agrícola, em nível de ensino fundamental, modalidade suplência, com duração de cinco semestres letivos.

Esses cursos não tiveram continuidade, sendo que, em 1973, foi implantado o curso Técnico em Agropecuária, para alunos de ambos os sexos, passando a ser o único curso oferecido pela Escola a partir de 1976.

A Escola esteve subordinada à Secretaria de Estado da Educação, e ainda à Secretaria da Ciência e Tecnologia, na Divisão de Ensino Tecnológico, da qual foi transferida para o Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza em 1994, mantendo inicialmente o curso integrado de Técnico em Agropecuária.

Em 1997, o Centro Paula Souza, promovendo alterações em todas as Escolas Agrícolas, determinou que não seriam mais oferecidas vagas iniciais para o Curso Técnico em Agropecuária, em regime integral. Foi oferecido o Curso Técnico em Administração Rural, uma turma no período na manhã e uma turma no período da noite.

Novas alterações de cursos ocorreram em 1998, já sob a vigência da nova LDB, Lei n° 9.394/96, e Decreto 2.208/97, sendo implantado o Curso Técnico em Pecuária, em regime modular de três semestres, tendo como requisito a conclusão de, no mínimo, a 1ª série do Ensino Médio. No segundo semestre foi introduzido o Curso Técnico em Administração, no período noturno, nos mesmos moldes fixados pela nova legislação cio ensino e orientações curriculares estabelecidas pelo Centro Paula Souza.

Nos anos seguintes, de acordo com a demanda e interesse dos alunos, manteve-se o oferecimento de cursos técnicos em Agricultura ou Pecuária, no período da tarde e de Administração Rural ou Gestão da Empresa Rural no período da noite. A partir do segundo semestre de 2002, passou também a ser ministrado o Curso Técnico em Meio Ambiente, no período da noite. Até que, em 2009, retorna o curso técnico em Agropecuária no período da tarde.

A Cooperativa-Escola de Alunos foi legalmente constituída no final de 2000, passando a efetivamente assumir projetos técnicos da Escola e a administração da residência de alunos.

A escola foi contemplada no Programa Vitae de apoio às Escolas Técnicas, Concurso 2000/2001, com o projeto "Construção de Um Novo Projeto Pedagógico com Base na Integração Escola-Comunidade", recebendo recursos financeiros para aquisição de materiais didáticos e equipamentos para uso nos cursos tais como aparelhos para montagem de laboratório de análises de solos e bromatológica, teodolitos e outros recursos para topografia, recursos áudio-visuais, microcomputadores, livros e outros. Este projeto representou valiosa contribuição na atualização dos recursos disponíveis na escola. 

A partir de 2002, a política educacional do Governo do Estado contemplou com mais ênfase o papel do Centro Paula Souza na formação profissional de jovens e adultos. A Etec Prefeito José Esteves ampliou o número de cursos e vagas oferecidos, recebeu investimentos em manutenção de prédios e instalações, bem como aquisição de materiais e equipamentos.

A partir de 2010, passou a ser oferecido Telecurso Tec, convênio do Centro Paula Souza com a fundação Roberto Marinho, na modalidade semipresencial na área de Gestão, cursos de Administração e Secretariado, que atualmente não conta com nenhuma turma em funcionamento. 

A partir de 2012, por nova reformulação na legislação da educação profissional, retornam os Cursos Técnicos Integrados ao Ensino Médio, com a implantação em regime integral do curso Técnico em Meio Ambiente, e a partir de 2014, passa novamente a ser oferecido o curso de ETIM - Ensino Técnico Integrado ao Médio em Agropecuária. 

Mantém-se a diversificação de cursos técnicos no período da noite, conforme a demanda de alunos, sendo oferecidos em regime modular os cursos Técnicos em Administração, Agroindústria, Agronegócio, Contabilidade, Informática, Meio Ambiente e Produção de Cana-de-açúcar,  

Também, por proposta do Centro Paula Souza, em convênio com Prefeituras Municipais, foram oferecidos cursos técnicos em regime de classes descentralizadas; em 2005, na cidade de Taquarituba, os cursos de Administração e Informática; em 2006, em Avaré, cursos de Administração e Nutrição e Dietética, em 2010, em Timburi, curso de Cafeicultura, e em 2014, em Manduri, curso de Contabilidade.

Nas cidades de Taquarituba e Avaré foram criadas Etec, a partir deste início como classes descentralizadas da Etec Prefeito José Esteves.

Já no ano de 2016, considerando que o município contava com várias empresas do ramo alimentício, tem início o curso de Técnico em Alimentos, aproveitando os laboratórios de processamento já instalados. 

Em 2018, iniciamos o projeto pioneiro de implantação do curso técnico em agropecuária na modalidade noturna. Também teve início a primeira turmo do ETIM - Ensino Técnico Integrado ao Médio em Administração.

 

DESENVOLVIMENTO CURRICULAR

Desde a sua instalação, em 1964, e até o início do segundo semestre de 1997, a Escola ministrou exclusivamente cursos na área de Agropecuária. e por vinte e quatro anos curso integrado, abrangendo formação geral e formação específica, em regime integral. Também desde a sua instalação, os alunos matriculados residem na Escola, já que são provenientes não só do município de Cerqueira César, mas de vários outros municípios vizinhos e da região.

A mudança de característica da Escola de exclusivamente dedicada ao ensino técnico na área de Agropecuária, para uma Escola Técnica que também está aberta a ministrar cursos de outras áreas e níveis, refletiu o momento econômico e de desenvolvimento tecnológico, no qual o Estado procurou atender às expectativas da comunidade e demandas de formação para o trabalho. Esse contexto impôs à escola maior flexibilidade, bem como agilidade nos procedimentos administrativos e pedagógicos.

As Escolas Agrícolas do Estado, mesmo com as várias mudanças de organização curricular, em decorrência das alterações da legislação da educação profissional, a orientação da política educacional de cada governo e de subordinação a diferentes órgãos do Estado, mantiveram como características mais marcantes a possibilidade do aluno vivenciar a situação real de produção e a residência do aluno na Escola, criando laços de convivência com professores, servidores e entre os próprios colegas, distintos dos de uma escola comum.

Outro fator que contribuiu para o fortalecimento da cultura própria foi a permanência de parte do grupo de professores e servidores que possuem vínculo com a Escola desde os seus primeiros anos de funcionamento.

Mesmo havendo destaque nos sucessivos planos de governo para a importância da ampliação dos cursos de formação profissional, a destinação de recursos do estado para as Escolas Agrícolas foi bastante reduzida nas décadas de 80 e 90. Nesse período, as escolas técnicas buscaram recursos de Prefeituras, entidades financiadoras de ações educacionais e iniciativa privada para realização de projetos que visavam à atualização curricular.

Na última década, a política educacional do governo do estado contemplou com mais ênfase o papel do Centro Paula Souza na formação profissional de jovens e adultos. Nessa linha, esta Escola ampliou o número de cursos e vagas oferecidos, acompanhado de investimentos em manutenção de prédios e instalações, bem como aquisição de materiais e equipamentos. Contudo, esse investimento foi consideravelmente reduzido nos últimos dois anos em virtude de profunda crise em todo o país.

Consideramos que os objetivos e finalidades principais da Escola não sofreram alterações profundas ao longo do seu período de funcionamento. Conforme constam dos documentos da época, o sistema Escola-Fazenda, por exemplo, que nesta Escola teve início em 1973, visava proporcionar aos alunos a vivência de situações reais dos trabalhos agropecuários; despertar o interesse pela área; levar os estudantes a se estabeleceram como produtores; ampliar a ação educativa da Escola, disseminando aos agricultores mais próximos conhecimentos de práticas agropecuárias; despertar no educando o espírito de cooperação e auxílio mútuo, valoriza-se o princípio "aprender a fazer e fazer para aprender". Consideramos que tais objetivos são válidos até os dias de hoje, desde que se leve em consideração o contexto e as prioridades atuais, bem como a atualização dos meios para atingí-los. 

 

DIRETORES DA ESCOLA (Centro Paula Souza)

2016-2020 (4 anos) - Ronaldo Alves da Silva 

2012-2016 (4 anos) - Ronaldo Alves da Silva

2004-2012 (8 anos) - Antonio Francisco Martin Rolim

1998-2004 (6 anos) - Antonio Carlos Schiavoni Vernillo

1996-1998 (2 anos) - Ricardo Rabelo de Arruda

1994-1996 (2 anos) - Archimedes Buzaide Mallo

ETEC Prefeito José Esteves

Rodovia Donato Francisco Sassi, km 5 - Bairro Macucão
CEP 18760-000 - Cerqueira César/SP
Telefone: (14) 3714.6175 ou (14) 99611.6175
E-mail: e072dir@cps.sp.gov.br
Facebook: https://www.facebook.com/etec.cerqueiracesar
WhatsApp: Público Externo: (14) 99611.6175 - Público Interno: (14) 3714.6175
Youtube:
Instagram: