A Etec Prefeito Jos Esteves mantm cursos profissionalizantes de nvel mdio, ensino técnico integrado ao ensino médio e outros cursos de formao profissional. Atualmente, a escola mantm Técnico em Agropecuária Integrado ao Ensino Mdio, Técnico em Agroindstria, Administração, Alimentos, Informática, Meio Ambiente, e tambm poder oferecer outros cursos de menor durao desde que haja condies e alunos interessados. Também oferece cursos técnicos na modalidade semipresencial, em Secretariado e Administração.

 

Todas as atividades de ensino da Escola so dirigidas para a preparao do aluno para uma profisso e tambm para seu desenvolvimento pessoal, de forma a que ele seja um cidado consciente e ativo, que age no s para o prprio sustento e bem-estar, mas tambm para o bem de todos.

more

Nossa Escola
Nossos Cursos
Parceiros

« 1 ... 11 12 13 (14) 15 »
:
Posted by Ronaldo Alves da Silva on 2011/4/20 17:30:00 (2392 reads)

Carlos André Dognani foi o grande vencedor do 20º Prêmio Ernesto Illy de Qualidade do Café para ‘Espresso’ e levou o prêmio de R$ 50 mil para Timburi (SP). A entrega do tradicional Prêmio, que comemora 20 anos no país, aconteceu em cerimônia realizada pela PDS/ illycaffè no dia 18 de março, em São Paulo (SP). No total, distribuiu mais de R$ 180 mil em prêmios aos 50 finalistas do concurso e aos cinco classificadores eleitos.

Entre os primeiros colocados, a segunda posição ficou para Mariana de Carvalho Junqueira, de Dom Viçoso (MG), que ganhou R$ 35 mil; o terceiro lugar ficou para a Fazenda Sertãozinho Ltda., que levou o prêmio de R$ 18 mil para Botelhos (MG); o quarto colocado, Maron Aziz Alexandre, de Cajuri (MG), recebeu R$ 9 mil; o quinto lugar foi de Clovis Carvalho Filho, que levou R$ 5 mil para Campos Altos (MG); o sexto colocado foi Luiz Flavio Pereira de Castro, de Carmo de Minas (MG), que levou R$ 2 mil; no sétimo lugar, Adolfo Henrique Vieira Ferreira levou o prêmio de R$ 2 mil para Monte Belo (MG); no oitavo lugar, pelo município de Araxá (MG), ficou Marcelo José Rios que recebeu o reconhecimento de R$ 2 mil; em nono lugar, Lucia Maria da Silva Dias, levou R$ 2 mil para São Sebastião da Grama (SP); a décima colocada, Bruna Sella Ferreira, de Tejupá (SP), também levou o prêmio de R$ 2 mil; os demais 40 finalistas receberam R$ 1,2 mil cada um.

Nesta edição, somente dois estados disputaram as primeiras colocações: São Paulo, que obteve três produtores entre os 10 finalistas, e Minas Gerais, com as demais sete posições. Do tradicional estado mineiro, quatro finalistas eram da região do Sul de Minas, outros dois eram do Cerrado e a região das Matas de Minas conquistou um representante entre os primeiros colocados.

No total, entre os 50 finalistas divulgados em novembro, Minas Gerais conquistou 47 posições e São Paulo as outras três colocações, na lista dos melhores cafés brasileiros da safra 2010/2011.

Em 2010, a Porto de Santos/ illycaffè – empresa responsável pelo recebimento das mostras para o concurso e pela compra e exportação dos grãos brasileiros à illycaffè – recebeu 366 amostras vindas de diferentes estados do Brasil, tais como: Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Bahia, Goiás, Espírito Santo e Rio de Janeiro.

A análise e classificação dos melhores cafés são realizadas pela Assicafé, laboratório científico que presta serviço exclusivo à marca no Brasil. As 50 amostras finalistas – provenientes das 270 aprovadas nesta edição do concurso – foram avaliadas por especialistas brasileiros e estrangeiros, utilizando as mais avançadas técnicas de seleção.

Entre os classificadores, em primeiro lugar ficou Giovana M. Piagentini de Andrade (Safra Consultoria em Cafeicultores), com prêmio de R$ 3,5 mil; o segundo classificador colocado foi Wellington Carlos Pereira (Cocarive), com reconhecimento de R$ 2,5 mil; o terceiro colocado foi Luiz Evandro Ribeiro (Cooxupé), que levou o prêmio de R$ 1,5 mil; o quarto lugar foi de Carlos Alberto Cabral Campos (Incofex Armazéns Gerais Ltda.), com reconhecimento de R$ 1mil; e o quinto colocado entre os classificadores foi João Batista Jarduli (Corretora Café Responsável), com prêmio de R$ 1mil.

Escolhido pelo júri do Clube illy do Café, o ‘Fornecedor do Ano’ safra 2010/2011 foi Esmerino Joaquim Ribeiro do Vale, de Guaxupé (MG). O produtor e um acompanhante farão uma viagem cultural à Itália, onde conhecerão a sede da illycaffè, em Trieste, além da famosa cidade de Veneza.

O júri, que elegeu o produtor da região do Sul de Minas, foi composto por membros da illycaffè, da Assicafé, da Porto de Santos/illycaffè e da ADS, que consideraram critérios como: fidelidade no fornecimento; eficiência; pontualidade na entrega; condições do produto; correspondência do lote com a amostra original; ordem da documentação; cumprimento da qualidade e quantidades vendidas; participação no Programa de Reconhecimento às Melhores Práticas & Sustentabilidade; e participação no 20º Prêmio Ernesto Illy de Qualidade do Café para ‘Espresso’.

O ‘Diploma de Reconhecimento às Melhores Práticas e Sustentabilidade’, instituído desde 2008, foi concedido à Fazenda Córrego, de Santa Margarida (MG), região de Matas de Minas, de propriedade de Mauro Garcia Correia. Os outros quatro finalistas ao Diploma foram: Fazenda Jatobá, de Walter Cesar Dutra, localizada em São João do Manhuaçu (MG); Fazenda Santa Helena, de Ednilson Alves Dutra, em Caputira (MG); Fazenda Paraíso, de Jorge Barakat, em João Pinheiro (MG); e Fazenda Macaúbas de Cima, de Glaucio de Castro, em Patrocínio (MG).

Após a análise dos Questionários de Sustentabilidade – parte do Programa de Reconhecimento às Melhores Práticas & Sustentabilidade – respondidos pelos produtores do Clube illy do Café inscritos, e das visitas técnicas realizadas às cinco melhores classificadas, a comissão de avaliação considerou que as propriedades são sustentáveis sob o ponto de vista social, ambiental e econômico; possuem pelo menos uma certificação de sustentabilidade; e que empregam as boas práticas agrícolas.

O vencedor e os finalistas do 20º Prêmio Ernesto Illy de Qualidade do Café para ‘Espresso’ são:

1º Carlos André Dognani | Timburi (SP) São Paulo
2º Mariana de Carvalho Junqueira | Dom Viçoso (MG)Sul de Minas
3º Fazenda Sertãozinho Ltda | Botelhos (MG)Sul de Minas
4º Maron Aziz Alexandre | Cajuri (MG)Matas de Minas
5º Clovis Carvalho Filho | Campos Altos (MG)Cerrado
6º Luiz Flavio Pereira de Castro | Carmo de Minas (MG)Sul de Minas
7º Adolfo Henrique Vieira Ferreira | Monte Belo (MG)Sul de Minas
8º Marcelo José Rios | Araxá (MG)Cerrado
9º Lucia Maria da Silva Dias | São Sebastião da Grama (SP)São Paulo
10º Bruna Sella Ferreira | Tejupá (SP)São Paulo

Fonte: www.revistacafeicultura.com.br

: II Workshop Planta Forte
Posted by Ronaldo Alves da Silva on 2011/3/30 21:50:00 (3103 reads)

A IHARA, tradicional fabricante de defensivos agrícolas, promoveu nos dias 22 e 23 de março o II Workshop Planta Forte, na cidade de Sorocaba (SP). O evento reuniu produtores rurais, consultores, pesquisadores e representantes de universidades, institutos e entidades de pesquisa para apresentar os projetos e ações desenvolvidas em parcerias com o Planta Forte sobre rodas em todo o país.

“O evento é uma continuação da 1ª edição, realizada no ano passado, quando reunimos os pesquisadores para apresentar os projetos que seriam desenvolvidos a partir da nossa parceria. Nesta edição nos reunimos novamente para discutir os resultados conquistados em um ano e as ações futuras”, explica o responsável pelo Planta Forte sobre rodas, Reginaldo Nacata.

No primeiro dia do evento, os mais de 50 participantes assistiram palestras ministradas pela equipe da IHARA, por meio das quais puderam conhecer um pouco do plano da empresa em relação aos projetos. No segundo dia, os convidados apresentaram cases de sucessos dos projetos desenvolvidos em parceria com o Planta Forte.

O produtor de hortaliças da cidade de Colombo (PR) Aluízio Fiorese participou do Workshop e ressaltou a importância da parceria com o projeto da IHARA no crescimento dos produtores de sua região para conscientização e transmissão de novas informações. “Eu já era cliente da IHARA e conheci o projeto por meio da revenda CDA, de Curitiba (PR), que sou cliente. A presença do Planta Forte em minha região foi muito importante, pois muitos dos produtores não possuem facilidade de adquirir conhecimentos. Organizamos palestras nas quais a equipe da IHARA apresentou novas técnicas e orientações aos produtores”, conta Aluízio. ”Hoje já percebemos algumas mudanças nas plantações e acreditamos que com a continuidade desta parceria colheremos muitos resultados positivos”, afirma.

Para o diretor administrativo da Hidroceres, Oliveiro Basílio Bassetto Junior, o Planta Forte auxiliou os seus clientes a garantir resultados ainda melhores no campo. “Muitos dos nossos clientes não tinham conhecimentos sobre técnicas de manejo que garantem resultados superiores no campo, e acabavam perdendo boa parte das mudas pela falta de informação”, conta. Ele ressalta que com o apoio do Planta Forte os produtores passaram a dominar melhor as técnicas e garantir resultados superiores. “A parceria entre o projeto e a nossa empresa já começou a reverter a situação e apontar aos produtores os principais problemas no manejo aplicados por eles. Acredito que com as orientações técnicas da equipe do Planta Forte teremos um saldo muito melhor no campo”, afirma.

Ao final do evento os participantes destacaram algumas ações pontuais para o futuro da agricultura do país e elogiaram a iniciativa da IHARA em manter um projeto como esse exclusivamente para dar apoio aos produtores de todo o Brasil.

“Nosso objetivo com o Planta Forte é fortalecer o propósito da empresa em ajudar no desenvolvimento e competitividade da agricultura brasileira. Esse evento é muito importante para trocarmos experiências e ampliar nosso relacionamento com esses pesquisadores e produtores”, finaliza Nacata.

O Planta Forte sobre rodas

O Planta Forte sobre rodas nasceu para dar agilidade a um programa da IHARA, o Sistema Planta Forte (SPF), que desde 2003 tem como objetivo aprimorar e desenvolver modelos de gestão mais eficientes da produção agrícola a partir da experiência administrativa e sabedoria do agricultor. Esse projeto é uma forma de concretizar o compromisso da empresa em contribuir para o progresso sustentável da agricultura brasileira, descrito em sua missão.



Fonte: www.ihara.com.br

:
Posted by Ronaldo Alves da Silva on 2011/3/29 18:40:01 (3211 reads)

Dia 24/03 foi realizada na classe descentralizada da Etec Prefeito José Esteves na cidade de Timburi, (aula de SST), uma dinâmica palestra sobre Prevenção e Controle de Incêndios em Edificações e Florestas.

O palestrante foi o bombeiro reformado Ten. José Edgard Napolitano de Piraju, que demonstrou na prática a utilização de alguns equipamentos de combate à incêndio. Muitos alunos foram convidados à participar. Confira as fotos


momento de atenção para fogo em botijão de gás


O evento foi coordenado pelo professor Durval Macedo, Eng. Agrônomo e Especialista em Meio Ambiente, Coordenador da Classe Descentralizada de Timburi.

:
Posted by Ronaldo Alves da Silva on 2011/1/17 15:50:00 (2631 reads)

Já está no site www.vestibulinhoetec.com.br a lista de classificação geral dos candidatos que participaram do Vestibulinho das Escolas Técnicas (Etecs) estaduais para o 1º semestre de 2011. A informação será também divulgada na Etec em que o candidato pretende estudar.

Os convocados devem fazer a matrícula, no horário definido pela unidade de ensino, nos seguintes dias:

* 17 e 18 de janeiro 1ª lista de convocação e matrícula;
* 19 e 20 de janeiro 2ª lista de convocação e matrícula;
* 21 de janeiro 3ª lista de convocação e matrícula;
* 24 de janeiro 4ª lista de convocação e matrícula;
* 26 de janeiro 5ª lista de convocação e matrícula.

Documentos para Matrícula

Para quem se inscreveu no Ensino Médio: requerimento de matrícula – será fornecido pela Etec – preenchido e assinado. Se o candidato tiver menos de 16 anos no momento da matrícula, caberá a seu responsável legal assinar o documento; cópia simples com apresentação do original da Cédula de Identidade (RG); duas fotos 3x4 recentes e iguais.

Quem tiver concluído o Ensino Fundamental regular, deve levarcópia simples com apresentação do original do Histórico Escolar com Certificado de Conclusão do Ensino Fundamental; ou documento original da Declaração de Conclusão do Ensino Fundamental, firmada pela direção da escola de origem, contendo a data em que o certificado e o histórico serão emitidos.

Quem tiver concluído o Ensino de Educação de Jovens e Adultos – EJA (supletivo) ou o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos - Encceja, deve levar cópia simples com apresentação do original do Histórico Escolar com Certificado de Conclusão do Ensino Fundamental ou boletim de aprovação do Encceja emitido e enviado pelo MEC ou documento original da Declaração de Conclusão do Ensino Fundamental, firmada pela direção da escola de origem, contendo a data em que o certificado e o histórico serão emitidos.

Para quem vai ingressar no curso Técnico: requerimento de matrícula -- fornecido pela Etec --, preenchido e assinado. Se o candidato tiver menos de 16 anos, no momento da matrícula, caberá a seu responsável legal assinar o documento; cópia simples com apresentação do original da Cédula de Identidade (RG); duas fotos 3x4 recentes e iguais.

Quem fizer ou já tiver concluído o Ensino Médio regular, deve levarcópia
simples com apresentação do original do Histórico Escolar com Certificado de Conclusão do Ensino Médio; ou documento original da Declaração de Conclusão do Ensino Médio, firmada pela direção da escola de origem, contendo a data em que o certificado e o histórico serão emitidos; ou documento original da declaração que o candidato está matriculado a partir da 2ª série do Ensino Médio.

Quem fizer ou já tiver concluído o Ensino de Educação de Jovens e Adultos – EJA (supletivo) ou o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos - Encceja, deve levar cópia simples com apresentação do original do Histórico Escolar com Certificado de Conclusão do Ensino Médio ou documento original da Declaração de Conclusão do Ensino Médio, firmada pela direção da escola de origem, contendo a data em que o certificado e o histórico serão emitidos ou da declaração de que está matriculado a partir do segundo semestre da EJA ou cópia simples com apresentação do original de dois certificados de aprovação em áreas de estudos da EJA ou boletim de aprovação do Encceja emitido e enviado pelo MEC ou certificado de aprovação do Encceja em duas áreas de estudos avaliadas, emitido e enviado pelo MEC, ou documentos que comprovem a eliminação de no mínimo quatro disciplinas.

Para o candidato que realizou o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) – Certificado de Conclusão do Ensino Médio, expedido pelos institutos federais ou pela Secretaria do Estado.

O candidato que ingressou no Sistema de Pontuação Acrescida pelo item escolaridade pública, se convocado para matrícula, tanto para o Ensino Médio como para o Ensino Técnico, deverá, obrigatoriamente, levar a cópia simples com apresentação do original da declaração escolar ou do histórico escolar, contendo o detalhamento das séries cursadas e o nome da escola, para comprovar que cursou integralmente da 5ª a 8ª série ou do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental em instituições públicas.

Outras informações pelos telefones (11) 3471-4071 (Capital e Grande São Paulo) e 0800-772 2829 (demais localidades) e pelo site www.vestibulinhoetec.com.br.

:
Posted by Visitante on 2010/11/6 14:40:00 (2471 reads)

No dia 06/11/2010 a Escola Agrícola de Cerqueira César realizou mais uma reunião de pais e professores. Além de tomarem conhecimentos do desempenho escolar dos filhos, os pais, bem como funcionários e professores presentes puderam prestigiar os trabalhos que vêm sendo desenvolvidos pelos alunos da escola.

Entre os trabalhos apresentados, os alunos demonstraram como confeccionar produtos de utilização doméstica a partir dos recursos naturais. Entre os produtos está a utilização da babosa na produção de produtos como sabão em barra. Também realizaram a confecção de produtos como detergentes e desinfetantes que têm como base a citronella, planta muito utilizada como repelente natural de insetos. Os produtos são de baixo custo e não prejudicam o meio ambiente.

Também foram apresentadas alternativas para a geração de energia (biogás) a partir de dejetos animais e restos orgânicos, além de adubos que utilizam em sua base restos de comida, podendo ser, inclusive, feitos em casa.

Foi apresentando um sistema de irrigação de baixa pressão, através de confecção de implementos de baixo custo, viabilizando, assim, o acesso ao pequeno produtor rural.

Para aqueles que não possuem amplo espaço para criação de pequenos animais foram propostas alternativas como o galinheiro e minhocário móveis. Já para viabilizar o cultivo de culturas em espaços não apropriados para o plantio, a proposta foi a horta móvel.

Os alunos também apresentaram a produção de temperos desidratados, produzidos de forma orgânica, tais como salsinha, cebolinha e boldo, o que facilita o armazenamento e a utilização na cozinha doméstica. Ainda referente ao consumo doméstico, alguns alunos disponibilizaram mudas de variedades de pimentas e explicaram sobre as diferenças entre o plantio em campo e o plantio protegido deste condimento tão utilizado em nossa culinária.

Uma demonstração que causou grande curiosidade entre os presentes foi o resultado do aproveitamento do miolo da bananeira para a confecção de produtos artesanais como vasos para plantas. Este produto pode servir como um substituto para os vasos de xaxim, pois estes não são mais comercializados por estarem em extinção.

Além da apresentação dos trabalhos dos alunos, a reunião também proporcionou a exposição e a comercialização dos produtos e alimentos produzidos na própria Etec, por meio da Cooperativa-Escola, como ovos, hortaliças orgânicas, temperos caseiros, além da tradicional linguiça suína

Texto: Janaína Monteiro Ferrante
Orientadora Educacional

« 1 ... 11 12 13 (14) 15 »
Diversos
Vestibulinho
Confira!